Polo Cultural

A construção do sonho dentro da periferia

banner polo cultural

O Polo Cultural e Esportivo do Gerando Falcões nasceu com o intuito de provar que a periferia também pode ter uma agenda de atividades e que, por meio dela, é possível salvar crianças e jovens das drogas e da criminalidade.

A favela promete se transformar em um lugar vibrante, de oportunidade, onde o sonho e os talento não têm limites. A criatividade, a arte e o esporte fazem parte do sábado de centenas de alunos matriculados no Polo, que conta com seis tipos de oficinas: coral, pintura, dança, percussão e teatro.

Todas essas ações ocorrem aos sábados, das 9 às 17 horas, na escola municipal José Antônio Bortolozzo, no bairro Cidade Kemel, em Poá.

 

 

CORAL

O Coral é uma das oficinas oferecidas pelo Gerando Falcões para alunos entre 6 e 15 anos, e que faz parte do Polo Cultural. A música une culturas, desperta a criatividade e a capacidade de comunicação, além de auxiliar na socialização do aluno. Pela regência dos músicos Miquéias e Régis, este coral conta com 300 vozes de crianças a cantarem uma letra de transformação social.

Pintura

Já a oficina de Pintura faz com que o aluno deixe a criatividade e imaginação rolar solta. O professor Marcos é quem direciona e ensina técnicas de pintura a óleo para os participantes, que desenvolvem ótimos quadros e reservam o sábado para relaxar e aprender muito.

DANÇA

A oficina de Dança também é uma grande atração para meninos e meninas que gostam de dança e movimentos corporais. Por meio da atividade da professora Beatriz, o aluno desenvolve força, agilidade e muita disciplina, além de trabalhar coordenação motora, expressão e musicalidade.

Teatro

Para os que não são fãs da dança, também tem a oficina de Teatro, comandada pelo professor Igor. A atividade promove formação cultural, além de despertar o desejo pelo conhecimento e ser uma forma de entretenimento divertida e prazerosa.

Percussão

Mais que ampliar o leque de atividades culturais, a oficina de Percussão foi criada para ensinar crianças e jovens a tocar instrumentos musicais e fazer o verdadeiro som da comunidade. Os professores Serginho e Alan ensinam os alunos a tocar diversos instrumentos, tais como tamborim, chocalho, ganzá, surdo de marcação, caixas e repiques. Essas e outras atividades contam com acompanhamento psicológico e atendimento social aos participantes.

Traduzir »