“O esporte, a decepção e a vitória”

“O esporte, a decepção e a vitória”

Sempre fui apaixonado pelo esporte e me dediquei ao ramo durante 15 anos antes da minha vida “virar de cabeça para baixo”. Me chamo Leonardo Moraes Precioso, mais conhecido por Léo, e tenho 34 anos. Tive uma boa carreira profissional no futebol e já passei por vários clubes famosos, incluindo Sport Club Corinthians Paulista, Sociedade Esportiva Palmeiras, Associação Desportiva São Caetano, além do Clube Atlético Juventus e Deportes La Serena, do Chile. Essa foi uma época em que vivi muitas alegrias, bem como “altos e baixos”.


Decepções “dentro de campo” também acontecem. Em  2004, muito desmotivado, resolvi encerrar as atividades no esporte. Foi então que retornei ao meu bairro de origem, no Itaim Paulista, e reencontrei meus amigos de infância. Infelizmente, alguns haviam entrado para o “mundo do crime”e, em 2008, fui recolhido pelo sistema prisional por ter optado entrar neste meio também. Permaneci longos sete anos e 13 dias encarcerado.

Foram as visitas da minha mãe guerreira que me deram forças para seguir em frente. Foi ela quem acompanhou bons e maus momentos da minha vida. Por meio dela, retomei contato com o então fundador do Gerando Falcões, Eduardo Lyra, que conheci na época do futebol, durante a adolescência. Em uma das visitas, minha mãe me trouxe um exemplar do livro do Edu juntamente com uma carta escrita por ele para ser lida após o término da visita, segundo orientação da minha mãe. Quando eu comecei a ler a carta, me emocionei muito, pois nela, havia um conteúdo de inspiração e conselhos que me direcionavam a tomar decisões boas na minha vida.

No início de 2014, fui contemplado com a saída temporária no Dia das Mães porque tive bom comportamento enquanto encarcerado. Foi, então, que me reencontrei com Edu Lyra, que me apresentou Alex Santos, o Lemaestro, um cara que também tem uma grande história de superação na vida pessoal e profissional.

Naquele momento de reencontro com Edu e encontro com Lemaestro, conversamos sobre o que eu faria após a minha liberdade, mas eu ainda estava confuso. O caminho para “o bem” parecia difícil para mim, até porque, mesmo depois de todas as conversas motivacionais vindas de ambos, eu ainda estava envolvido e com “compromissos” ligados ao crime.

Segui, então, minha jornada no presídio até chegar a data que eu não me esquecerei: 29 de abril de 2015, dia em que ganhei liberdade, precisamente às 21 horas, da Penitenciária de Valparaíso, em São Paulo. Três dias depois, o Edu e o Lemaestro resolveram me convidar para um jantar e me fizeram uma proposta grandiosa, que contribuiu para a minha vitória longe das grades. A proposta foi de retomar ao mundo do esporte por meio de trabalho social dentro do Gerando Falcões.

Foi então que com muita alegria aceitei o desafio e hoje sou coordenador de Esportes e Empregabilidade da organização social. Além disso, dei outro grande passo na minha jornada, pois comecei minha faculdade de Educação Física e estou no segundo semestre do curso. São com essas experiências todas de vida que acredito poder contribuir muito para as ações sociais do Gerando. Eu adoro esporte, isso me transforma e também quero transmitir o bem às pessoas por meio disso. 

IMG_9410

One thought on ““O esporte, a decepção e a vitória”

  1. Senna Ricarte - 5 de março de 2016 at 18:40

    Conheci o Leo na infância, quando ele jogava nas categorias de base do Corinthians, mora na rua de trás da casa dele, sempre fomos muito amigos, futebol, jogo de botão, vídeo game, sempre estávamos juntos, o tempo foi passando e seguimos rumos diferentes, mas sempre o admirei, e fiquei muito triste quando soube do rumo que a sua vida tinha tomado, mas sempre admireu seus pais, tanto o Paulinho como a Vanda e fiquei imensamente feliz em saber que sua vida esta tomando um novo rumo. Pra mim você vai ser sempre aquele moleque gente boa, meu amigo de infância e mesmo de longe sempre vou torcer por você, grande abraço.

    Reply

Leave a Reply

Translate »