Ex-presidiária ganha capacitação e se torna empreendedora na Zona Leste

Mulher passou 10 anos buscando oportunidade e foi aposta em projeto-piloto da Ong Gerando Falcões e do “Rexista”

Moradora da comunidade de Poá, Virginia Rodrigues Pereira, de 44 anos, lutou quase uma década para resgatar sua dignidade e voltar a ser referência de alegria e de mulher guerreira na região onde vive. Por mais que tentasse esquecer o passado difícil, os “nãos” que diziam a ela em entrevistas de emprego traziam à tona na memória os três anos que ficou presa por suposto envolvimento em um assalto, em 2004.

Somente em 2016 sua vida transformou. Foram necessários uma oportunidade e um voto de confiança para que Virginia transformasse sua história e se tornasse empreendedora. Ela foi a aposta do projeto-piloto “Rexista”, lançado por estudantes universitários de São Paulo, em parceria com o Gerando Falcões, e hoje garante sua própria renda e mantém o sustento da família.

“Não preciso mais depender dos outros para sustentar meus filhos e ter comida dentro de casa. Isso me deixa muito orgulhosa e feliz”, contou Virginia. O projeto visa dar suporte às mulheres que já passaram pelo sistema penitenciário e querem uma chance para transformar a própria vida.

Virginia soube agarrar a oportunidade e hoje se organiza para vender variados tipos de salgados, como coxinha, bolinhas de queijo ou rissoles que ela mesma faz com carinho e com produtos de qualidade. O investimento inicial veio do “Rexista” e ela ganhou, além de dinheiro, cursos de capacitação sobre vendas. Foram três meses intensos de orientações.

“Aprendi a como vender melhor, apresentar o produto ao cliente e fazer os salgados com qualidade”, descreveu ela. Além de vender salgados de porta em porta, ela também vende os produtos para grandes eventos, como casamentos ou festas de aniversário.

“Já estou fechando a venda dos salgados para um casamento e também tenho encomenda para aniversários no ano que vem. Trabalho não para enriquecer, mas para continuar a vida e não passar por necessidades”, contou ela.

Parceria

O coordenador de empregabilidade do Gerando Falcões, Leonardo Precioso, acredita que essa parceria com o “Rexista” pode transformar a vida de muitas mulheres que já passaram pelo sistema penitenciário. “Essa parceria veio para dar amparo social e moral e empoderar essas mulheres, mostrando que elas podem ‘virar o jogo’ e até ser a chefe da família, com renda digna”, comentou Leonardo.

A iniciativa de capacitar mulheres que já passaram pelo sistema penitenciário veio dos estudantes da Fundação Getúlio Vargas. Eles descobriram o projeto “Recomeçar”, do Gerando Falcões, que encaminha os egressos ao mercado de trabalho, e decidiram criar um trabalho voltado ao público feminino.

“Visitamos o Gerando Falcões, conhecemos os projetos e decidimos apoiar as mulheres que já passaram pelo sistema penitenciário. Foi então que o Leo (Leonardo Precioso) nos apresentou a dona Virginia”, revelou a líder da ação, Ana Teresa Saad.
Fotos: Andressa Silva

IMG_9790 IMG_9798 IMG_9806

Leave a Reply

Translate »